cirurgia de osteotomia

Cirurgia de osteotomia: o que é e quando é indicada?

Fraturas, alterações congênitas, artrose ou o desgaste natural do joelho podem causar o desalinhamento da articulação. Tal deformidade é corrigida com a cirurgia de osteotomia, que tem o objetivo de realinhar os membros inferiores. Com isso, é possível proteger os joelhos do desgaste e proporcionar melhor qualidade de vida ao paciente, que geralmente convive com dores na região.

Quando a cirurgia é recomendada, percebe-se a falta de alinhamento das pernas, que apresentam curvatura dos joelhos para dentro (joelho valgo) ou para fora (joelho varo). A alteração pode ocorrer em um ou ambos os membros.

A causa para essa alteração é a artrose, degeneração que avança progressivamente, com o passar dos anos. A doença atinge a cartilagem dos joelhos, ou de outras articulações do corpo. Sem essa estrutura, os ossos entram em contato direto, provocando dores e problemas de locomoção.

O desgaste das articulações pode ser provocado pela obesidade, por esforço repetitivo, alterações hormonais (como a menopausa) e deformidade congênita do joelho, por exemplo.

A osteotomia é uma opção de tratamento para aqueles que sofrem com dores constantes no joelho, devido à artrose, no entanto, por ser uma técnica altamente invasiva, sua indicação é limitada a alguns pacientes. Continue lendo para saber mais sobre esse procedimento — e saber quando ele é indicado!

O que é a cirurgia de osteotomia

A osteotomia é a cirurgia para o realinhamento dos membros. Geralmente, ocorre o corte ósseo do fêmur (acima do joelho), ou da tíbia (abaixo do joelho) para correção da pressão da articulação, que pode apresentar um dos lados danificados, devido ao mau alinhamento.

Após o corte, existe a fixação do osso na posição correta. Pode haver a necessidade de adição ou remoção de partes ósseas. No fim, é afixada uma placa e parafusos para fixação e cicatrização pós-cirurgia. Tal procedimento contribui para que o paciente consiga realizar suas atividades do dia a dia sem dores.

É necessário muito cuidado na escolha do profissional que irá realizar o procedimento, já que é preciso técnica e conhecimento especializado para que o resultado siga como o planejado. O especialista deve ter atenção para proteger nervos e vasos sanguíneos próximos do joelho e preservar as suas estruturas.

O paciente desfruta dos benefícios da técnica por cerca de 10 anos, em média. Após esse período, pode ser necessária a realização de nova cirurgia, com possibilidade de implante de prótese total de joelho.

Quando é indicada?

A osteotomia é realizada em pacientes com artrose em nível inicial. A técnica é indicada somente para pacientes abaixo dos 60 anos e que não tenham tido prejuízo na mobilidade. Além disso, é necessário que as estruturas da articulação estejam em bom estado.

Outra recomendação é que o paciente esteja em boas condições de saúde. Da mesma forma, a cirurgia não é realizada em pacientes com artrite reumatoide, sendo ainda contraindicada para aqueles que estejam acima do peso, ou com obesidade, já que essa é uma condição que contribui para a progressão da artrose.

A cirurgia de osteotomia é um procedimento delicado e, como qualquer outra intervenção cirúrgica, tem seus riscos. Por isso, a qualquer sinal de dor nos joelhos, agende uma consulta com o ortopedista!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em Belo Horizonte!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe